segunda-feira, 25 de agosto de 2014

Meu pequeno homem

 
 


                Como mãe do Victor fico pensando que daqui poucos anos meu filho estará cada vez mais distante de nós, o tempo passa tão rápido, ele já está um rapazinho... e bate aquela preocupação se vai saber lidar com as coisas do mundo. Mas como mãe especial meu maior desafio é fazer com que Lucas possa viver as mesmas experiências que o irmão. Quantas coisas temos lhe ensinado a respeito de crescer e amadurecer... E tem dado resultado. As vezes é difícil acreditar quando o ouvimos falar uma frase completa com pouca dificuldade nos dizendo sua opinião e até mesmo estabelecendo um diálogo. Foi lindo ouvi-lo dizer pela primeira vez posso conversar? e bater um papo comigo sobre suas "namoradas". Isso aconteceu esse ano...
                Lucas nos mostra total percepção da realidade, da sua própria como das demais pessoas e apesar de não reconhecer o alfabeto continua sendo meu mestre. É incrível como ele realiza o que gosta, o que quer fazer. Fico até com frio na espinha quando ele nos pede alguma coisa, porque ultimamente os pedidos tem acompanhado a idade, ele está com 13 anos, então imaginem... durante a copa depois dos jogos pedia pra sair e comemorar na rua com a galera... e nós íamos claro! Ele se realizava no meio das pessoas que lhe deram atenção normal contribuindo para que se sentisse bem.
                O bigodinho está nascendo, pelos no corpo, axilas, púbis... a voz está engrossando e os hormônios a flor da pele... Agora tem opinião sobre a roupa que veste e diz que se arruma para as meninas. Quando o irmão sai para brincar e ele quer sair junto, imediatamente se mobiliza e nos pergunta e eu não vou para a rua?... Como é bom ver o retorno do nosso esforço, ele aprendeu mesmo o que lhe ensinamos... garoto esperto! Agora nós temos que aprender de novo a lidar com ele nessa nova fase, porque nem sua saúde frágil e nem mesmo a paralisia cerebral foi capaz de parar essa pessoinha tão especial e ele cresceu! É um adolescente, um pequeno homem, doido pra aproveitar a vida e fazer coisas novas...
                Ele é mesmo um espírito guerreiro. Não só sobreviveu pra ficar comigo mas vem cada dia mais driblando os obstáculos do mundo e conquistando novas vitórias. Obrigada filho, pela sua companhia, que Deus abençoe nossa família, para que possamos te ajudar a ter uma vida digna e feliz!

segunda-feira, 7 de julho de 2014

Pais heróis, pais exemplos!












Semana passada fomos convidados para um evento para pais de adolescentes no C.T. do Corinthians. No final do convite o Roberto  Shinyashiki dizia, nos vemos lá. Na correria do dia li rapidamente o email e meu cérebro registrou que era para pais e adolescentes. Enviamos nossos nomes informando que tinha duas crianças, confirmaram nossa presença na lista e fomos todos nós imaginando que seria uma palestra para jovens.
O evento foi quarta dia 02. Chegando lá vimos muitos pais, porém sozinhos. Quando todos estavam entrando para o auditório pensei que loucura trazer os filhos. Naquele momento é que nos demos conta que era para os pais apenas e chegamos a bolar estratégias para combater o tédio deles mas estava sem jeito já estávamos ali. Conversamos com Victor e orientamos para fazer silêncio e Lucas para prestar atenção porque ele estava crescendo e se tornando adulto e precisava aprender a ser como eles.
A palestra era sobre os erros que os pais geralmente cometem na educação de seus filhos e como ser exemplo. Outro palestrante era o Alexandre Slivnik.  Nem preciso dizer que foi excelente. Eu e Fabio estamos ainda mais conscientes de nosso papel como pais. As crianças não deram nenhum trabalho. Lucas prestou total atenção na palestra do Alexandre e riu muito das interpretações do Roberto.  
Foi a primeira palestra que Victor assistiu e ao final disse que o Roberto ensina outros pais a cuidarem de seus filhos. Ganhei a noite! Fiquei emocionada com as palavras dele, assimilou a mensagem, vai ser um grande pai!
No final, Victor ainda ganhou uma camiseta autografada e no dia seguinte me levou café na cama, depois lavou a louça, limpou a pia, mesa e fogão. A palestra rendeu mesmo, vai ser um bom marido também!
Que bom que entendemos o email errado e levamos nossos filhos. Me felicito e agradeço a Deus mais uma vez pela oportunidade de dar lhes aceso a coisas importantes. :)
"Instrui o menino no caminho em que deve andar, e até quando envelhecer não se desviará dele". Provérbios 22:6

sexta-feira, 30 de maio de 2014

Sr. Fabio Yamashita



Há tempos eu desejo declarar meu amor publicamente, sonhava em aparecer na TV fazendo alguma pegadinha com você ou alguma outra coisa bem maluca, algo que você jamais imaginaria que eu fizesse mas confesso que me faltou "ousadia" e até mesmo tempo para correr atrás de realizar esse desejo.
Hoje eu estou aqui,tão longe, ouvindo uma música que me faz lembrar de você me abraçando na cozinha enquanto eu lavo a louça e você seca... sentindo sua falta, preocupada com você e esse diagnóstico de dengue... sem poder te abraçar, ficar no seu pé para que tome os remédios...
Como diz você, ficar separados por 6892 Km depois de quase 10 anos de casados, não é fácil... Você foi na minha vida a maior prova do amor de Deus por mim. Nunca pensei que desejaria viver o resto dos meus dias ao seu lado, como sonho hoje... um tempo atrás, no passado eu julgava ser impossível te amar mas o amor é um sentimento a ser aprendido e meu sentimento por você é prova disso...
Sabe porque eu sou feliz? porque eu me sinto amada. Amada por Deus que me deu forças para resistir até você voltar para me ajudar a cuidar do Lucas, amada por você desde que me conheceu no ano de 1997 e pelos filhos que tivemos!
Nós convivemos juntos 24 horas por dia, trabalhando, descansando... sonhamos os mesmos sonhos, temos desejos em comum, lutamos pela mesma causa e amamos o que fazemos... as vezes parece demais mas viver sem isso é ter um espaço vazio...
Talvez minha declaração de amor não cause o impacto que eu sonhei mas espero que te surpreenda porque eu mesma estou surpresa de estar aqui como uma adolescente, parecendo piegas, me sentindo ridícula... mas Fabio, eu não seria a Antônia que sou hoje e essa família não existiria sem você!!!

EU TE AMOOOOOO!! E agradeço a Deus pela sua vida, pelo seu caráter, pela sua paciência, seu cuidado, sua cumplicidade e seu companheirismo. Isso é amor...

sexta-feira, 9 de maio de 2014

Você me ama? Eu te amo!


O desenho do Lucas. 
E hoje foi a festa para as mães na escola dos filhotes. Depois do café, trocamos massagens com os filhos depois assistimos o Curta Metragem " Ensaio".
Fiquei entre Lucas e Victor. A professora dá o play e ouvi a voz da Andréa Beltrão falando você me ama? logo pensei hoje as lágrimas vão rolar e fiquei o filme inteiro chorando como boba... E parece que só eu chorei!!
O Victor também entrou na pele do personagem e repetiu três vezes coitado do menino! No final do filme, antes mesmo de acabar, ele estava chorando também...
Abracei o e perguntei porque estava chorando, ele não respondeu e perguntei você quer dizer que me ama? e ele faz que sim com a cabeça, então eu falei diz que me ama e ele respondeu chorando eu te amo, e  pedi fala de novo e ele me disse mais duas vezes...
Coloquei o no meu colo ainda chorando e claro que aquele meninão quase do meu tamanho chamou atenção, mas das poucas pessoas que estavam em volta, algumas contagiadas com nossa emoção, ouvi uma mulher falar lindinho, isso é carência...
Fico triste cada vez que vejo o quanto as pessoas vivem de bem com os problemas a ponto de sempre enxergar um pela frente. Meu filho não pode ficar emocionado porque foi tocado pelo filme? Uma criança de oito anos, quase nove, não é capaz de pensar que ele poderia ser aquele menino do filme?
A caminho de casa um comentário daqueles que eu amo! Mãe, coitado daquele menino, a mãe dele morreu... e aproveitei pra explicar que pode acontecer com ele ou com qualquer outra criança e que também pode acontecer o contrário, as mães perderem seus filhos ainda crianças, com a idade dele... Fabio explicou que como vivos nossa maior certeza é que morreremos um dia e finalizei... e se isso acontecer com você de perder o pai ou a mãe você vai ficar e ser feliz!
E quando estávamos chegando em casa ele vê um senhor aparentando ter idade avançada e com dificuldade de locomoção gritando para que o bebê que estava com ele voltasse e faz mais um comentário... esse "velho" logo vai morrer e esse menino vai ficar aí sem ter ninguém pra cuidar dele, acho que o pai e a mãe, já morreu... pra amenizar o drama criado por ele eu disse que o mais provável é que o pai e a mãe do bebê estão trabalhando!
E aqui o link do filme, vale a pena ver e rever!!   

Eu, Victor, nossos olhos inchados e uma ultima lagriminha no canto do olho dele...

terça-feira, 6 de maio de 2014

Até que a vida nos separe!



Vivi muito tempo na solidão. Como mãe de uma criança com deficiência me sentia parte de um pequeno grupo de "sortudos", até que encontrei outras mães e pais que assim como eu foram pegos de surpresa ao embarcar nesta aventura pelo mundo da maternidade.
As histórias que já ouvi, li, conheci, são as mais variadas mas infelizmente todas tem sua dose de dor. São dores pela impotência materna/paterna, dores pelas limitações dos filhos, dores pelo preconceito, dores pelo desrespeito aos direitos das nossas crianças e tantas outras... mas existe um outro tipo de dor que quando vemos os outros pais sufocados, sem saber o que fazer, ficamos da mesma maneira sem saber que ação executar para ajudar alguém em momento tão crítico...
Perdi as contas de quantas crianças com deficiência se foram...  algumas de maneira inesperada, outras superando a previsão de curto tempo de vida...
Apesar das diferentes circunstâncias em nenhum caso seus pais estavam preparados para aquele momento. Eu já me imaginei sentindo esse tipo de dor... foram várias as vezes em que vivemos momentos críticos e mesmo sem querer eu me via chorando, sentindo a dor de não ter mais aquela pessoa ao meu lado, e dói muito!!
Nos últimos anos vi pais com os quais mantinha um contato a certo tempo tendo que conviver com um sentimento de perda irreparável sem saber o que fazer... O que dizer em momentos assim?... penso que um aconchego, um abraço carinhoso, um mimo e muita paciência são auxílios contra a dor da saudade mas como se estamos tão distantes apesar de conectados pela internet?...
Acredito que carinho é sempre gostoso de receber, mesmo que seja virtual e assim dou meu abraço àquelas mães e pais guerreiros que seguem com maestria pela jornada da vida.
Um carinho da Mãe Especial para todas as Mães e Pais Especiais desse mundão!

Descrição da imagem: A mãe empurrando o filho na cadeira de rodas, que tem asas e auréola. De frente um irmão e o pai, no formato da logomarca da Mãe Especial e abaixo um texto. 
  
Texto da imagem: Um dia eu estive aqui mas hoje apenas parte de mim permanece, a parte mais pura, que nunca se acaba, que não se dissolve, nem desaparece com o passar do tempo. Sei que serei sempre presente no coração e na memória dos que me amam. Não serei esquecido...
Que as lembranças que brotam sejam dos momentos mais prazerosos que tivemos juntos.
Que as lágrimas que venham rolar em seus rostos sejam de alegria por lembrarem ainda dos nossos momentos bons e que junto com as lágrimas venha o sorriso e a paz por acreditarem que ainda estaremos juntos em outro lugar para vivermos novas experiências.
Que apesar da saudade que causa tanta dor, vocês possam viver felizes, lembrando que o tempo passa rápido e logo vocês também não estarão mais aqui!
Até breve...  
Texto: Antônia Yamashita