segunda-feira, 11 de fevereiro de 2008

Mudando de assunto


Apesar do blog ser sobre o Lucas, vou escrever hoje, sobre o Victor.

Hoje, foi seu primeiro dia na escolinha, desde sexta, quando fiquei sabendo que hoje seria seu primeiro dia, fui conversando com ele e explicando que iria pra escola. Creio que ele entendia sobre o que estava ouvindo já que me dizia com entusiasmo que queria ir, ao mesmo tempo em que me olhava com um ar do tipo "já sou um mocinho". Durante essa semana ele ficará apenas duas horas por dia e eu estarei presente todo o tempo.
Quando chegamos ficou meio tímido mas veio pra casa chorando porque queria ficar brincando. Pra mim foi uma emoção única, um misto de alegria e tristeza por ver meu filho caminhando para sua futura independencia.

Sou mãe há sete anos e só hoje vivi essa emoção já que com o Lucas as coisas funcionam de forma diferente. Ele já frenquentou a escola e espero que volte mas, como já disse, as coisas funcionam de forma totalmente diferente.

Ao mesmo tempo leio também o comentário da Odele que me traz a minha realidade que como ela mesma disse é comum a dela. A alegria de ter nossos filhos ao nosso lado e a tristeza de não vê-los saltitando, vivendo a vida em sua plenitude.

Penso nas mães que não tem outros filhos sem deficiência e não vivem essas experiências comuns que toda mãe deveria ter que é ver o filho indo pra escola, correndo com os amiguinhos como vi o Victor hoje...

Odele eu não tenho o seu comentário como mensagem negativa. Isso é simplesmente a minha realidade, da qual faço questão de estar ciente o tempo todo. Aliás gostei muito.

Bom fica o recado para as mamães para que amem intensamente seus filhos, beijem, abracem, deêm muito carinho e atenção sempre que der, vivam cada dia como se fosse o último.
Daqui a única certeza que temos é que um dia morreremos e não sabemos que dia é esse, pode ser daqui a 50 anos ou no próximo minuto.

Bjs
Comentários
3 Comentários

3 comentários:

Cristiane Fetter disse...

Oi Antônia, você está coberta de razão, temos que dar e demonstrar amor por estas criaturas, que em algum momento de nossas vidas, concordaram em vir para este mundo sob nossa guarda.
Meu filhote está com uma gripe fortíssima e pela primeira vez em sua vida ficou deitado o dia inteiro na cama, meu coração fica do tamanho de uma passa, pois ele é muito ativo e arteiro e passa o dia pulando e dando cambalhotas.
É tão difícil vê-lo assim.
Muito amor, muito mimo, muita dedicação, muito tudo.
Querido, um dia iluminado pra você e para os herdeiros.
Beijocas

Anônimo disse...

Olá Antônia , nem sei se vc vai receber esse recado, não tenho conseguido postar aqui. Mas entendo seu sentimento , quando levei Caio a primeira vez na escola ficquei muito emocionadae até hj quando a condução chega e ele tá todo animado esperando, sofro imaginando como seria maravilhoso se ele pudesse compartilhar desses momentos com o irmaozinho. E ao mesmo tempo agradeço a Deus pois apesar de tudo ele me permite viver esses momentos com caio. Senti falta de vc ter colocado uma foto do Victor na escola de farda. imagino que ele deve ter ficado uma graça!
beijos na turminha
Gláucia ( mãe de vitinho e caio)

Luciane disse...

Oi Antônia,também tenho um filho especial de 8anos,e agora um de 9 meses.A experiência de ter um filho normal até me assusta,por estar acustumada com a paralisia do meu mais velho,o outro não para um segundo ele e muito ativo,mais a convivência dos dois está fazendo um bem muito grande para ele.Gostaria de vê-los sempre assim unidos,e vou ensiná-lo a ser o seu melhor amigo,temos que pensar como será o nosso futuro e ensinar o que a vida nos tem a oferecer.Fiquem com Deus.