quinta-feira, 31 de janeiro de 2013

Independência assistida



                Ano passado Victor meu filho mais novo completou seus sete anos de idade. Apesar da pouca idade ele apresenta uma certa responsabilidade e ano passado conquistou o "mérito" de ficar brincando com os amigos na frente do prédio sem a nossa presença. Como era de se esperar Lucas logo passou a pedir para ir para a rua com o irmão. Ignoramos o apelo do Victor de que cuidaria do Lucas e explicamos aos dois que é muito pequeno para cuidar de alguém que não seja ele próprio e sempre que era possível saíamos com o Lucas já que o mesmo sofre com o tédio de ficar em casa vendo televisão enquanto os pais trabalham.
                Nessas férias o contato com os meninos da vizinhança aumentou e todos demonstram carinho pelo Lucas, porém não podemos sair com ele todos os dias para brincar. Ultimamente os pedidos de Lucas para ir para a rua aumentaram e sua luta contra o tédio também. Hoje, finalmente cedi e ele ficou na rua sozinho com o irmão e os amigos. Ah e as amigas também!            Apesar de estar afogada em serviço com prazo curto e em reunião de trabalho na sala de casa, não consegui relaxar e fui várias vezes constatar seu bem estar. Na primeira vez que saí ele estava dando uma volta com um amigo que empurrava sua cadeira e em outra vez dei de cara com ele em outro lugar ao lado de várias garotas, inclusive a que ele diz que é sua namorada.
                Em uma das vezes que saí Victor me olha orgulhoso e diz:
                - Mãe você viu como nós estamos cuidando bem do Lucas?
                E naquele momento eu nem me atrevia a trazê-lo para dentro de casa. Era comprar uma briga grande com ele...
                Depois de um tempo voltou para casa trazido pela "namorada" mas claro que ela teve que ficar um pouco com ele antes de ir embora. Nada bobo o garoto. E agora nos resta mais um desafio, como lidar com as saídas de Lucas. Vamos ter que descobrir!!   
Comentários
0 Comentários

0 comentários: