terça-feira, 6 de maio de 2014

Até que a vida nos separe!



Vivi muito tempo na solidão. Como mãe de uma criança com deficiência me sentia parte de um pequeno grupo de "sortudos", até que encontrei outras mães e pais que assim como eu foram pegos de surpresa ao embarcar nesta aventura pelo mundo da maternidade.
As histórias que já ouvi, li, conheci, são as mais variadas mas infelizmente todas tem sua dose de dor. São dores pela impotência materna/paterna, dores pelas limitações dos filhos, dores pelo preconceito, dores pelo desrespeito aos direitos das nossas crianças e tantas outras... mas existe um outro tipo de dor que quando vemos os outros pais sufocados, sem saber o que fazer, ficamos da mesma maneira sem saber que ação executar para ajudar alguém em momento tão crítico...
Perdi as contas de quantas crianças com deficiência se foram...  algumas de maneira inesperada, outras superando a previsão de curto tempo de vida...
Apesar das diferentes circunstâncias em nenhum caso seus pais estavam preparados para aquele momento. Eu já me imaginei sentindo esse tipo de dor... foram várias as vezes em que vivemos momentos críticos e mesmo sem querer eu me via chorando, sentindo a dor de não ter mais aquela pessoa ao meu lado, e dói muito!!
Nos últimos anos vi pais com os quais mantinha um contato a certo tempo tendo que conviver com um sentimento de perda irreparável sem saber o que fazer... O que dizer em momentos assim?... penso que um aconchego, um abraço carinhoso, um mimo e muita paciência são auxílios contra a dor da saudade mas como se estamos tão distantes apesar de conectados pela internet?...
Acredito que carinho é sempre gostoso de receber, mesmo que seja virtual e assim dou meu abraço àquelas mães e pais guerreiros que seguem com maestria pela jornada da vida.
Um carinho da Mãe Especial para todas as Mães e Pais Especiais desse mundão!

Descrição da imagem: A mãe empurrando o filho na cadeira de rodas, que tem asas e auréola. De frente um irmão e o pai, no formato da logomarca da Mãe Especial e abaixo um texto. 
  
Texto da imagem: Um dia eu estive aqui mas hoje apenas parte de mim permanece, a parte mais pura, que nunca se acaba, que não se dissolve, nem desaparece com o passar do tempo. Sei que serei sempre presente no coração e na memória dos que me amam. Não serei esquecido...
Que as lembranças que brotam sejam dos momentos mais prazerosos que tivemos juntos.
Que as lágrimas que venham rolar em seus rostos sejam de alegria por lembrarem ainda dos nossos momentos bons e que junto com as lágrimas venha o sorriso e a paz por acreditarem que ainda estaremos juntos em outro lugar para vivermos novas experiências.
Que apesar da saudade que causa tanta dor, vocês possam viver felizes, lembrando que o tempo passa rápido e logo vocês também não estarão mais aqui!
Até breve...  
Texto: Antônia Yamashita
Comentários
0 Comentários

0 comentários: